A hora de dormir

670px-Get-a-Baby-to-Sleep-in-a-Crib-Step-14

A hora de dormir cá em casa é sagrada, por volta das 20h30, a seguir ao banho, todos os dias, inclusivé fins de semana e férias da escola, eu deito as minhas filhas nas suas respectivas caminhas, nunca quebro esta regra, é importante perceberem isso, vou dizer vos o que funciona para mim na hora de deitar as crianças, de modo a que elas durmam e sem birras, claro que às vezes não querem ficar na cama e tenho que ser firme e não deixá las ultrapassarem os limites, aqui vão alguns pontos que eu acho importantes que sejam seguidos para que a “coisa” corra bem…

  • É importante estabelecer uma rotina, ou seja, todos os dias à mesma hora as crianças tem que ir para a cama;
  • Criar um ambiente calmo e sereno por toda a casa, não adianta mandarmos os miúdos para a cama e depois falarmos em voz alta e estarmos a ouvir a televisão da sala em alto som, garanto-vos de que não irá funcionar;
  • Não os devemos habituar a adormecer com a nossa presença no quarto, acho importante as crianças adormecerem sozinhas desde cedo;
  • Não retirarmos a criança do berço cedo de mais, ao tirarmos a cama de frades o acesso ao chão e aos brinquedos fica mais fácil e numa criança muito pequenica é difícil que ela compreenda que não pode sair da cama e por fim, não embalar em demasia, as minhas filhas nunca gostaram de ser embaladas aliás ficavam ainda mais agitadas com esses movimentos;

Cá em casa funciona bem assim, claro que cada criança é diferente e umas podem ser mais difíceis de adormecer que as outras, as minhas filhas adormecem facilmente, mas se me perguntarem se dormem a noite toda, não não dormem, acordam várias vezes por noite, mas mesmo assim a hora de fazer “óó” não é alterada para mais tarde, as crianças precisam de dormir cedo é importante para o seu desenvolvimento.

Mais alguém também adotou uma rotina para a hora de dormir?

Beijinho

Sofia Cruz

 

Anúncios

Não aceite críticas de quem não conhece a sua rotina diária

unnamed.png

É tão fácil criticar quando não estamos na pele do “outro”, quantas e quantas vezes eu, como mãe, oiço que tenho que ser  ” assim” ou que tenho que fazer “assado”, só eu conheço os meus filhos como mais ninguém conhece, o que funcionou com umas crianças pode não funcionar com outras, cada criança é um ser individual, que cresce e desenvolve-se ao seu ritmo.

Ao longo dos anos aprendi que quem muito aponta o dedo ao próximo, é profundamente infeliz, por isso se alguém está numa situação em que se sente constantemente julgada pelas suas escolhas enquanto mãe, sei com toda a certeza que o mais importante é manter se fiel a si mesma e confiar nos seus instintos maternos porque só uma mãe conhece um filho como ninguém, por isso o melhor é rodear nos de pessoas positivas que nos queiram realmente ajudar.

Cada mãe tem o seu jeito próprio de educar e criar os seus filhos, como se costuma dizer “uma mãe compreende até o que um filho não diz”.

Beijinho

Sofia Cruz